domingo, 16 de agosto de 2009

Carta ao Tio Mingo


Eu adoro este teu sorriso meigo, tio.


Domingos Nogueira, o Mingo, o véio Guim, o Guim, o Peão ... para mim sempre o Tio Mingo.

Tio, você era o tio mais carinhoso de que me lembro.
Era o nosso Tio cozinheiro.
O Tio desprendido.
O Tio que gostava de nos abraçar, apertar, nos enchouriçar ... E quando a gente cresce vê que os seus enchouriços são na verdade uma forma de carinho também...

Impossível esquecer você dizendo pra nós:

- Cha-ta!
- Sua cha-ta!
- Você é uma cha-ta!

E bem lembrado pelo Celso, você dizendo: Eu não gosto d´ocê! rs
Tio, você era muito querido!

Impossível esquecer você nos empanturrando de comida ...

Tudo para você estava bom, não é Tio?
Pra você a humanidade era realmente burra por deixar de curtir coisas simples e prazerosas da vida para dedicar-se a correr atrás de coisas materiais... cada vez mais... mais e mais. Ninguém precisa de muito para viver, você dizia sempre. Você tem razão!

Lembro do cheiro do seu pão caseiro. Que delícia!
Abobrinha refogada com pimenta, ninguém fazia igual.

Muito castigado pela vida ... eu achava.
Sem uma companheira por toda a vida ... você sentia solidão, tio?
Só pôde trazer as filhas para perto quando moças...mas Deus compensou-lhe e lhe deu a felicidade de ter netos, muitos netos.... de curtir com os netos o que você não pode curtir com as suas filhas... Ser avô é tudo de bom, não é, Tio?

Você conquistou seu cantinho com muito, muito sacríficio .... eu lembro de cada passo, da compra do terreno, da construção da casa, quando foi morar lá...e alegria em nos mostrar a SUA propriedade. Cheia de plantas e bichos.

Você falava a língua dos animais, conversava com qualquer bicho e eles o entendia. Eu já percebia que só os especiais falam com os bichos.
Para você não existia cão bravo, não é? Todos gostavam de você.
Você é um ser humano tão sensível e humilde, tio. Deus reservou um lugar especial pra ti, você merece. Eu sei disto! Ai se 1/3 do mundo fosse como você.

Seu trabalho era um dos mais duros e você estava lá desde os seus 40 e poucos anos ou antes, e nisto ficou até quase os 60 anos.

O vício que você lutou durante a vida para abandonar e por muitas vezes conseguiu ... será que não era apenas o seu refúgio? A sua maneira de obter forças para a vida?

Você bebia, penso eu, não para se transformar em outra pessoa, ficar violento, nada disto. Você bebia, penso eu, para reencontrar a si mesmo...
E muitos não entendiam porque você bebia ... olhando sua história creio que possamos entender um pouco agora.

Comecei a observar que você não era mais o mesmo quando você largava comida no prato... você mesmo dizia que aprendeu no exército a não deixar um grão de arroz no prato... logo você, tio.´

Neste último Natal de 2008 eu senti que não o veria mais porque o achei muito abatido... mas não imaginava que fosse desta forma.
Esta é a última foto sua em vida, e é esta imagem que queremos e vamos guardar. Espero que tenha gostado de estar conosco.

Como parte da despedida nós fomos até a velha Fazenda São Joaquim, muita coisa mudou lá. Quantas boas lembranças de almoço de domingo com toda a família reunida para a tradicional macarronada da Vó naquela velha casa. Quantas lembranças do Vô naquela oficina. É como se eu visse uma foto que se descoloriu ...

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá...

NUNCA o ouvi reclamar da vida.
Você foi e será um exemplo para muitos.
Para mim você foi um grande homem e eu te admiro sim!

Ps. Você, a Tia Nice, a Tia Chiquita, o Tio Alemão, o Vô e a Vó agora estarão juntos para sempre.
Lembra do Átila, não é, tio? Acredito que agora você pode encontrá-lo também e dar aquele abraço nele por nós.

Tchau, Tio Mingo.

4 comentários:

Angel disse...

Lindo e verdadeiro. Te amamos tio Mingo...saudades...

Cleide disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleide disse...

É isso mesmo, esse era o tio Mingo, uma verdadeira criança, que não se contaminou com o mal do mundo, uma criança...
Sempre vamos te amar.
Saudades.

Luci Ana disse...

Descanse em paz tio Mingo!!!
Saudades!!!